segunda-feira, 22 de setembro de 2008

78ª Volta da Penha - 14/09/2008




Disponibilizo aqui meu relato da prova que ocorreu no Domingo (14/09/2008) e primeiramente faço algumas observações importantes.


Tenho um carinho enorme por essa prova, já que foi nela que iniciei minha "carreira" de corredor, então faço o que for necessário para participar todo ano dessa, e até hoje tenho tido êxito; são 07 anos que participo com muita alegria dessa corrida que auto intitula-se a segunda corrida mais antiga do Brasil, perdendo somente para a São Silvestre.


Fora que a prova é organizada pelo Clube Esportivo da Penha; lugar muito agradável, onde é disponibilizado as dependências do mesmo para os corredores prepararem-se para a batalha.


No Domingo, acordei de madrugada e percebi que caía uma chuva chata; bom fazer o quê !


Voltei a dormir; e às 05:30 hs, levantei para preparar as "tralhas" e a danada da chuva continuava.


Na maioria das provas que participo sempre conto com o apoio de uma equipe muito especial, que me disponibiliza essencial suporte como: reter a mochila com os pertences, auxiliar na logística, ajudar na aplicação do protetor solar, até tarefas bem mais difíceis, como prender o número de peito com os alfinetes na camiseta de modo que ele não fique num ângulo que as pessoas tenham que movimentar suas cabeças em direção à um dos ombros para identificar o número do corredor....rs.


Quando digo equipe (leia-se ESPOSA). Como diria aquele ditado: Não Basta ser esposa, tem que participar ! Muito obrigado equipe; digo Esposa.


Bom, voltando...


Levantei às 05:30 hs, e percebendo que a chuva continuava, fiz o mínimo de barulho possível para não acordar a "equipe", e às 06:50 partí para o Clube da Penha; sem o apoio da equipe.


Cheguei rapidamente ao bairro da Penha e para estacionar foi bem tranquilo, já que deixo o veículo no lado oposto ao da largada.


Me preparei, mochila no guarda volumes e fui para o alongamento/aquecimento.


Estava sem treinar na semana anterior, devido a uma gripe; portanto ia tentar chegar ao meu objetivo que nesse momento é terminar as provas de 10 km abaixo de 50 minutos, mas se não desse, bola pra frente, fica pra próxima.


A largada teve um atraso de uns 05 minutos e aí a corneta tocou, e lá vamos nós.


Saí de forma conservadora, porque sabia que a primeira curva à esquerda era uma das 02 subidas da prova. Subi por ela sem muita dificuldade, já que é bem no início da prova.


Depois a corrida desenrola-se quase toda numa avenida conhecida lá na Penha como Tiquatira. Na perna de ida ela é meio chatinha, pois possui ondulações, e você fica num sobe e desce bem de leve. Na perna de volta já é bem mais plano, só que não estava conseguindo manter o ritmo nem à 05 min/km, quanto mais baixá-los. Não adianta, treinos são imprescindíveis e estava pagando pela falta deles.


Vencida a avenida Tiquatira, temos a outra subida da prova, que é a passagem por um viaduto. Nessa já senti um pouco mais; nesse ponto estamos por volta do oitavo quilômetro e depois é tentar forçar um pouco mais até o final.


Termina-se a prova dentro do clube e temos que dar uma volta na pista de atletismo que fica em volta do campo de futebol.


Nos anos anteriores a chegada dava-se em frente às arquibancadas do campo, na própria pista de atletismo; porém esse ano eles estenderam-na alguns metros à frente, levando-nos para dentro do campo. Eu achei que ficou meio estranho a chegada lá, pois além de afunilar muito, a transição da pista para o campo era meio perigosa. Parece que houve chiadeira dos corredores com relação a essa modificação, tanto que na segunda-feira o clube disponibilizou um comunicado no site pedindo desculpas pelo ocorrido e alegando que por problemas na cronometragem a chegada foi colocada lá.


Cruzei os tapetes da chegada e travei o cronômetro; e marcavam 52 minutos cravados. Cheguei ofegante.

Meu tempo oficial:

547 649 MAURICIO PARPINELI DE ARAUJO 80 M-30-34 00:52:36 RUNNER BRASIL

Pois é, não deu ! Fica o desafio para a próxima e analisando onde houve o erro na estratégia da prova, cheguei a conclusão que poderia ter forçado um pouquinho mais no começo, inclusive na primeira subida, pois estava me sentindo bem e com gás total. Fica a lição.

Tirei meu chip, tomei uns 02 copos d'água, e recebi minha medalha com o kit pós prova.
Levantei o meu acampamento e fui pra casa, Feliz da Vida !!!

7 comentários:

Fábio Namiuti disse...

Parabéns pela participação na prova, pelo resultado (que foi muito bom, sobretudo para uma prova com subidas, mesmo não tendo sido o esperado por você) e mais ainda por esse belo relato, Maurão.

Sensacional o lance do número de peito torto (ou será número torto de peito ?). A minha equipe (ou staff pessoal, como eu chamo) também não perdoa isso e "corrige" na hora ...

Fico muito agradecido em saber que você tem acompanhado os meus relatos no Arquivo de Corridas e pelas suas palavras.

Foi simplesmente perfeita a sua colocação na resposta à minha mensagem anterior: estamos mesmo nos tornando uma grande família de corredores. Crescendo, aprendendo e nos divertindo muito com isso. Será um grande prazer tê-lo como mais um familiar.

Um abraço,

Fábio

G.M. disse...

Maurão,
Parabéns pelo relato muito bem formulado e congratulações por seu resultado.
Obrigado,
Ass.: Guilherme.

Maurão disse...

Sensacional o lance do número de peito torto (ou será número torto de peito ?).

Grande Namiuti
Ou será ainda o corredor torto com o número de peito...rs.

Valeu pelo comentário e pela força e sobre o lance da grande família acabei de comentar lá no blog do Ricardo Hoffmann que nesse momento traduz o que penso sobre o assunto e não consigo uma definição melhor, segue:
""Concluo que vocês estão chegando na mais plena tradução do que efetivamente significa as palavras "esporte amador", que além da prática da atividade física em sí é norteado por vários outros aspectos de integração e companherismo.""
Abraço.

=================================
Guilherme meu camarada.

Grato pela visita.

Ricardo Hoffmann disse...

Grande Maurão! Parabéns pelo relato e pelo seu tempo nessa prova! Não conhecia essa prova tão antiga, é mole! Coloco seu blog nos meus favoritos, e passarei mais constantemente por aqui...e antes que me esqueça, bem vindo a família.

Maurão disse...

Hoffmann;

Grato pela acolhida e pela visita.

Essa corrida é show, portanto faça a inclusão na sua agenda quando vier para São Paulo.

Abraço, meu camarada !
Maurão

Jorge disse...

Maurão boa noite eu também não sabia da existência desse blog de corridas, fiquei sabendo através do blog do Guilherme Maio, bom meu amigo parabéns pelo blog e pelo estilo de vida que leva, ótimo relato e legal que sua familia lhe apóia nas corridas:

A PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA NO APOIO E, PRINCIPALMENTE, NA COMPREENSÃO DA ROTINA DE UM ATLETA, É PURA E SIMPLESMENTE UM GESTO DE AMOR. É UM AMOR INCONDICIONAL. PORQUE É UMA DOAÇÃO CONSTANTE.

Olha amigo não faça que nem alguns corredores criam o blog e daqui a pouco abandonam.
Notei que vc colocou o meu link do meu blog no seu, irei também adicionar o seu no meu.

Um abraço e boas corridas.

JORGE CERQUEIRA
www.jmaratona.blogspot.com

Maurão disse...

Grande Jorge;

Primeiramente agradeço a sua visita e gostaria de deixar destacado aqui que te admiro muito e já acompanho seus relatos a um bom tempo, você é fera !
Na verdade resolvi fazer o blog para dividir as experiências e porque me empolguei com todos os relatos de vocês que constam nos meus links.
Pode deixar amigo que não vou deixar o blog desatualizado.
E concordo plenamente contigo que é fundamental o apoio da família e vejo que a sua esposa e filha sempre estão acompanhando-o nas corridas. Parabéns meu amigo.
Abraço.
Maurão.